• Ivanilde Morais

TRABALHO

Atividade Produtiva do Homem,

humanizando-se...,



Trabalho é fundante do homem, ser social,

que ao longo do caminhar, partindo e ao

mesmo tempo se afastando da natureza e

dela se estranhando, construiu o seu mundo,

o mundo humano.


O trabalho, atividade produtiva do homem

que no caminhar histórico vai se humanizando;

porém, o trabalho constrói e ao mesmo

tempo desconstrói o homem, na medida

em que a para sobreviver precisa vender sua

força-de-trabalho (energia) no mercado e,

com isso, sofre um segundo estranhamento;

nessa relação social, o homem não é homem,

é simplesmente, trabalhador.


O trabalho, enquanto relação de produção,

passou por várias formas desde a escravidão,

onde o trabalhador era a mercadoria,

pertencia diretamente ao seu proprietário

que o tinha adquirido no mercado;

depois em regime de servidão na qual

o trabalhador servia ao proprietário

e estava submetido a essa relação, não

era livre estava preso à terra como

quaisquer outras coisas e não podia

quebrar essa estrutura.


Trabalho, com o surgimento da sociedade capitalista

as relações passaram a ser diferentes entre sociedade

e natureza, elas foram rompidas, gerando graves

consequências no metabolismo homem/natureza.

Esta é uma relação constante e determinante e tem

caráter diferente da dos outros animais porque é

mediatizado pelo trabalho gerando a sociabilidade.


Trabalho também se caracteriza pela mediação entre

o homem e o objeto de sua atividade, através de um

processo teleológico, de elaboração de projetos,

porque gera e produz, para sua realização e execução,

instrumentos cada vez mais especializados, tecnológico.


Trabalho, enquanto categoria, é o ato ou efeito

de trabalhar; exercício material ou intelectual para

fazer ou conseguir alguma coisa; da ocupação em

alguma obra; do esforço, labutação, lida, luta; é, ainda,

a aplicação da atividade humana a qualquer exercício

de caráter físico ou intelectual; também é, a composição

ou feitura de uma obra; e, da própria obra que se

compõe ou faz; bem como a obra literária ou artística;

sendo também a maneira como alguém trabalha;

ou a maneira como funciona um aparelho;

uma atividade remunerada ou assalariada; do serviço,

do emprego; considerado também, o local

onde se exerce qualquer atividade.

Trabalho de dar-se ao trabalho de; incomodar-se,

empenhar-se em fazer (alguma coisa).


Trabalho, então, tem múltiplas definições

enquanto categoria intrínseca ao homem.


Trabalho tem várias outras considerações; é a relação

determinante do homem produzir e reproduzir-se

enquanto ser que constrói o seu mundo.


Trabalho, na sociedade regida pela lógica do capital,

- Sistema capitalista -, é como se

não fizesse parte do homem porque considera apenas

um meio para sua sobrevivência;

não considerada sua finalidade, enquanto humano;

por isso, o trabalhador

não se vê como homem, humano;

não se realiza no seu trabalho;

não se sente humano no trabalho;

não é homem, apenas trabalhador , só se considera

homem na prática do ato sexual, da nutrição e do

descanso - repouso -, como quaisquer outros animais.


Trabalho, elemento histórico fundamental para o

desenvolvimento da sociedade, sofre uma profunda

divisão social na lógica capitalista que se expressa na

propriedade privada, e no seu equivalente geral,

o dinheiro; este faz com que toda e qualquer

forma de intercâmbio entre os homens e o próprio

intercâmbio na relação total, sejam postos para o

indivíduo como algo acidental e não como é,

determinante da própria lógica desta sociedade

- Sociedade capitalista – em que tudo vira mercadoria.


O trabalho, nesta forma de organização social nega

ao indivíduo o sentimento de humanidade, ele não

se sente como humano, mas “aquele – trabalhador -,

que precisa ganhar dinheiro”; porque o trabalho que

exerce não lhe proporciona qualquer tipo de

prazer ou bem-estar, e muito menos a possibilidade

de se tornar, pelo seu trabalho, capitalista.

Todos indivíduos são subsumidos completamente à

divisão do trabalho e, por isso mesmo, dependentes

uns dos outros. E quanto mais a divisão do trabalho

se desenvolve e a acumulação aumenta, se torna mais

aguda essa fragmentação e o próprio trabalho só

pode subsistir sob o pressuposto dessa fragmentação.


Trabalho acumulado e aperfeiçoado, a relação de

produção e capacitação, cada vez maior das forças

produtivas entram em contradição gerando a

possibilidade de superação da própria sociedade.

Com a profunda crise em que vive a sociedade,

o trabalho, o homem que trabalha, precisa ser

altamente qualificado e assim, vai sendo gerado

grande excedente populacional – trabalhadores -,

que não encontra mercado para vender sua

mercadoria, a sua força, sua energia, sente-se

abandonado, excluído e sua vida se torna

cada vez mais miserável....

Sem trabalho, sentindo-se excluído, o indivíduo,

a pessoa não tem como realizar sua humanidade.


Trabalho é cantado em prosa e verso e sem trabalho:


“Um homem se humilha

Se castra seu sonho

Seu sonho é sua vida

E vida é trabalho

E sem o seu trabalho

O homem não tem honra

E sem a sua honra

Se morre, se mata

Não dá pra ser feliz...”


Sem trabalho “...um homem também chora,

Guerreiro Menino” porque é no trabalho que

o homem se realiza como humano, dá sentido

à vida, sem essa atividade instala-se a miséria

desalmando o próprio homem.


Recife, 01 de maio de 2021

Ivanilde Morais de Gusmão

69 visualizações1 comentário